Alimentação – sins e nãos!

Vamos começar pelo óbvio. Açúcar? Não! Porquê? O açúcar serve de alimento para as bactérias que existem na boca, que se transformam no ácido que destrói o esmalte dos dentes.

Quais os alimentos que têm açúcar? Quase todos os alimentos processados têm açúcar. É importante ver os rótulos e as várias formas de “esconder” o açúcar: Sacarose, Glicose, Glucose, Dextrose, Frutose, Maltose, Maltodextrinas, Mel, Xarope de glicose, Xarope de milho, etc.

O mesmo se aplica aos refrigerantes, que mesmo que não tenham açúcares têm ácidos que destroem o esmalte dos dentes. E que mais evitar? Todos os alimentos com farinhas refinadas como bolachas, batatas fritas, flocos de cereais açucarados e bolos, que têm ingredientes que se transformam em açúcar na boca.

Então o que é que faz bem? Vegetais, e não apenas pelas razões óbvias. As cenouras, brócolos, espinafres, entre mais, são ricos em fibra, água, vitaminas e minerais, que fazem bem à saúde em geral, mas também demoram normalmente mais tempo a mastigar, o que faz com se produza mais saliva. A saliva é uma forma natural de limpar os dentes para além de os proteger das bactérias.

A fruta tem um papel muito importante não só na saúde dos dentes mas também das gengivas. Destaque aqui para a maçã que ajuda na limpeza dos dentes e previne a formação de placa bacteriana. E se repararmos, nem os vegetais nem a fruta se “colam” aos dentes. Este é um bom sinal!

Mas se quiser comer um alimento açucarado qual a forma de fazer “menos mal”? Diminuindo o número de vezes que o faz mais do que a quantidade de açúcar, pois, e apesar da quantidade também ter relação, quanto mais vezes ingerimos açúcar mais tempo ele está presente na boa, o que tem relação directa com o desenvolvimento das cáries. Privilegiando estes momentos no finais das refeições e não entre as mesmas (evitando assim “petiscar”).