O meu filho range os dentes

Desde muito cedo, cada vez mais as crianças têm a sua vida diária cheia de compromissos e pouco tempo de lazer com os pais. Isto pode levar ao stress, cada vez mais comum nas primeiras idades, o que pode desenvolver uma série de problemas,  entre os quais o Bruxismo.

O bruxismo é uma disfunção da mastigação e atinge crianças, adolescentes e adultos. É definido como um constante apertar, ranger ou trincar dos dentes, que pode ser inconsciente ou consciente.

Apesar de se poder manifestar em qualquer idade, após a chegada dos dentes de leite, tem maior prevalência na dentição mista, quando acontece a troca dos dentes de leite pelos permanentes. Muitos pais relatam que ouvem o barulho do rangido, como se a criança estivesse mastigando.

Surge, em geral, no período entre os dois e os quatro anos de idade, quando a criança percorre uma fase de intensas modificações psicológicas. A sua vivência passa da fantasia para a realidade, e nesse período também poderão aparecer distúrbios de sono e de fala (por exemplo, gaguez). É muito importante que a criança esteja calma, sem excitação e se sinta amada.

 

Quais são as causas?

As causas não são claras mas sabe-se que existem fatores que predispõem ao bruxismo, tais como: fatores dentais (interferências ao encostar os dentes de cima e de baixo, erupção atípica dos dentes de leite ou permanentes), fatores sistémicos (crianças alérgicas, com asma, infeções respiratórias, deficiências nutricionais), fatores ocupacionais (desportos de competição), fatores psicológicos e fatores hereditários, que poderão aparecer combinados.

O fator preponderante, no entanto, é o psicológico. A troca de escola, ou a chegada de um irmão, por exemplo, podem causar momentos de stress e ansiedade. Em crianças pequenas, o bruxismo, como outros distúrbios do sono, pode ser desencadeado pela intensidade da fase que vivem. Neste período, a criança não distingue a realidade da fantasia e absorve incansavelmente as constantes “novidades” do mundo que a cerca.

Outra possibilidade está relacionada com os hábitos alimentares, quando crianças que não mastigam alimentos consistentes e não usam a sua função mastigatória podem procurar suprir esta necessidade através do bruxismo.

Às vezes, o bruxismo pode apresentar-se como uma tentativa de suprir uma necessidade da função neuromuscular da mastigação, talvez por essa necessidade não ser estimulada regularmente.

 

Quais os sinais e sintomas do bruxismo?

Se o bruxismo for muito intenso, podem surgir desgastes na superfície dos dentes, sinais mais evidentes da sua presença. A criança normalmente não apresenta dor, mas podem ocorrer desgastes dentais, danos para o suporte dos dentes (perda óssea, mobilidade dental), danos musculares (mordida de bochecha, aumento e/ou dor nos músculos da mastigação), danos à ATM (articulação temporomandibular, próxima ao ouvido), dores de cabeça e dores faciais.

O importante é que o diagnóstico seja precoce para evitar maiores prejuízos aos dentes e às estruturas que os cercam.

 

Qual o tratamento?

O mais recomendado é que assim que os pais perceberem qualquer sinal do bruxismo na criança que procurem um Odontopediatra para acompanhamento e avaliação.

Cada caso deve ser analisado individualmente e os fatores descobertos devem ser tratados, tornando talvez necessária a ajuda de outros profissionais, além do dentista.

É importante organizar o momento anterior ao sono da criança, diminuindo o ritmo e acalmando, ao invés de excitá-la, para que se canse e durma. Isso é uma excelente forma de auxiliá-la a ter uma boa noite de sono tranquilo.

Estímulos sonoros e luminosos interferem no ciclo do sono, mesmo que a criança não acorde, e podem ser um gatilho para o bruxismo.

Atividades desportivas e artísticas aliviam a tensão, e são ótimas para quem sofre com o distúrbio. Porém, caso se transformem em uma obrigação, terão o efeito inverso.

 

Texto adaptado de “Seu filho range os dentes enquanto dorme?”, de Juliana Frigo

 

Próximo Tema:

A importância do flúor e sua utilização.