Smile Generation – E ainda agora começámos….

Na semana passada tive a oportunidade de passar à acção o projecto que mais me move: a Smile Generation. E este não é apenas mais um projecto de sorrisos, onde queremos pessoas felizes e sorridentes (também o queremos, claro!), mas antes um espaço onde pretendemos chamar a atenção para problemas bucais que começam desde a infância e que quando não detectados precocemente podem significar anos de tratamento futuro.

Começámos por Santarém e por fazer um trabalho junto das crianças de dois ATL’s da região: um pequeno workshop e um check-up de saúde oral para chamar a atenção aos pais para possíveis problemas. Da análise de cerca de 50 crianças consegui detectar já algumas questões centrais e que são importantes de trabalhar com as crianças, os pais, os educadores e as escolas:

. Lavagem dos Dentes – a maioria das crianças lava os dentes 1 ou 2 vezes ao dia. Em teoria, todos sabem que é insuficiente. Os dentes devem ser lavados pelo menos 3 vezes ao dia…e bem! E esta é a segunda questão: não vale de nada “lavar os dentes” se tal significar passar a escova pelos dentes durante 20 segundos. O efeito é quase nulo. E como tive oportunidade de explicar a todas estas crianças, têm de lavar cada dois dentes com cuidado, e por todos os lados. Tal como a língua: sempre de trás para a frente, ou seja, da parte posterior do dorso da língua para anterior (ponta).

. Problemas de crescimento – são comuns os problemas de crescimento maxilar ou de posicionamento dos dentes em muitas crianças. Ainda muitos pais têm a ideia de que, como estão em fase de mudança dos dentes, não vale a pena fazer nada. Este é um grande erro. Muitos problemas de posicionamento e crescimento podem começar a ser tratados desde cedo (7/8 anos) e prevenir situações mais graves (tanto para a criança, como para a carteira dos pais), no futuro.

. Ortodontista – um médico-dentista não é obrigatoriamente um ortodontista, ou seja, nem todos os dentistas estão habilitados para tratar problemas relacionados com a estruturação óssea dos maxilares e posicionamento dos dentes. Se forem detectados problemas a este nível deve ser procurado um ortodontista para uma melhor avaliação e tratamento de cada caso. Tratando e/ou observando é possível actuar no melhor momento. Evita-se, uma vez mais, situações que no futuro podem serem mais complicadas para a criança, bem como para a carteira dos pais. PREVENÇÃO AINDA É O MELHOR CAMINHO.

. Escola – apesar de deixado para o fim, este é um dos assuntos mais importantes. Percebi já que a maioria das crianças não só não é incentivada, como é quase proibida, de lavar os dentes nas escolas. Alegam-se questões de higiene, praticabilidade, as desculpas habituais para uma situação que não se coaduna com as práticas do dia-a-dia. Esta é uma situação muito grave e que tem de ser rapidamente invertida, principalmente junto dos mais pequenos. Ter uma bolsa na escola ou na mochila com uma escova e pasta de dentes, é o suficiente. Não é pesado ou incómodo. Já comecei este trabalho nestes ATL’s, que vão introduzir a lavagem dos dentes a seguir ao almoço e ao lanche, mas é importante que esta mensagem chegue a todo o lado…

Tantas conclusões e ainda agora começámos. O que só me deixa a pensar que há muito trabalho pela frente, um projecto por uma “Smile Generation”.

Thelmo Muniz